Por que você quer empreender?

Por que você quer empreender?

Posso tomar um pouquinho do seu tempo e contar um pouco sobre minhas tentativas ao tentar me responder a pergunta do título do post? Prometo ser breve

Ferramentas indispensáveis para quem quer ganhar dinheiro na internet
Comportamento: A balela do HARDWORK
Os negócios obscuros de Pablo Emilio Escobar Gaviria

Posso tomar um pouquinho do seu tempo e contar um pouco sobre minhas tentativas ao tentar me responder a pergunta do título do post? Prometo ser breve.

Essa é uma pergunta que, até hoje, eu não sei a resposta. E, sinceramente, espero nunca encontrá-la. Alguns vão ler com certo estranhamento os meus questionamentos sobre ser empreendedor, mas, paciência…


O glamour do ser empreendedor.

No início, a gente tende a ir pro lado do “ser dono do próprio negócio” e pensa que isso vai mudar a nossa vida. Bom, de certa forma, muda, mas nunca é como a gente projeta.

Quem tá na estrada sabe que a coisa vai mudando de figura com o tempo.

A gente vai criando “casca”. Ficando arisco. A gente entende que o caminhar com as próprias pernas exige um pouco mais do que apenas a tão famosa força de vontade e sangue no olho.

A gente precisa começar a liderar em prol de um objetivo maior, mesmo que nossa mente seja um verdadeiro caos em alguns momentos.

Mesmo que isso continue te custando algumas noites mal dormidas, ainda é válido acreditar que, se você sabe o “por que empreender”, as coisa tem grande chance de perder o propósito. Perder o tesão.

Quando o glamour do “ser empreendedor” não lhe cabe mais e você você entende que o seu papel é bem maior do que apenas ter uma empresa, conquistar alguns bens e pagar seus impostos em dia, você prefere deixar o “você” de lado e começa a olhar com o coração pro “Nós”. Prefere deixar o glamour para os próximos players que virão.

“Ser dono do próprio negócio” passa a ficar em segundo plano. Ou terceiro. Ou você deixa esse negócio de dono do negócio de lado. Você passa a ser responsável por ter que fazer diferença na vida de quem tá ali do seu lado – literalmente – fazendo suas “próprias pernas” andarem.


As decisões desagradáveis são inevitáveis

Na sua trajetória, será inevitável algumas – muitas – vezes, tomar decisões desagradáveis. Lembra a mente “em caos”, que eu citei um pouco acima, no texto? Então, são nessas horas que você vai parar e se perguntar, novamente: “Por que você eu fui empreender?”

Por mais que você acerte em 90% das vezes e que o sucesso e as comemorações façam parte da sua história como empreendedor, fazendo com que suas decisões tenham impacto positivo na maioria delas, são os malditos dos 10% que sobraram que vão te fazer se perguntar, novamente: “Por que você foi empreender?”

Há pouco mais de 3 anos eu resolvi ver no que ia dar a vida glamorosa de “empreendedor” e, em menos de um ano no campo de batalha e em atividade posso te dizer, não existe nada de glamouroso nela, amigo.

O que você vai precisar, além do básico, que é trabalhar pra caralho muito, claro, é cercar-se de pessoas positivas no seu dia a dia.

Suas amizades, incluindo seus relacionamentos com pessoas no ambiente digital, você vai precisar delas pra equilibrar e saber lidar com os momento de caos, entendendo que você escolheu empreender por algum motivo, só não tente encontrar uma resposta certa e, sim, várias erradas, pra que você nunca tenha que deixar de procurá-la.

Questione-se mais. Só as coisas óbvias tem respostas únicas, a sua vida merece mais do que isso.

Espero ter sido breve.

Até o próximo post. 😉

COMMENTS

WORDPRESS: 1
DISQUS: