Profissão: menos velocidade, mais direção

Profissão: menos velocidade, mais direção

Planejamento para uma vida mais tranquilo

Como ser um bom profissional de planejamento, sem conseguir planejar os próprios passos.

Eu queria ser empreendedor, mas eu gosto de sexta-feira.
Networking vai além da troca de cartões em eventos
Um texto para você não ler…

Depois de muitos anos sem dar uma pausa para descansar, nesse final ano de 2017, resolvi me dar esse luxo e tirar alguns dias em dezembro para não fazer nada além do rotineiro relacionado a minha empresa. Monitorar uma campanha aqui, editar um anúncio ali, responder uns e-mails… enfim, manter a máquina funcionando.

Parei todos os meus conteúdos e não produzi nada para meus canais. Me dei esse luxo para colocar as ideias em ordem e refletir sobre a profissão.

Refleti sobre o que eu ando produzindo.

Esse texto mesmo, que você está lendo agora, deveria ter sido escrito no dia que o vídeo foi postado, mas deixei pra depois. Assista o vídeo e, se tiver um tempinho, tem um texto complementar logo abaixo. 

Às vezes, deixar pra depois pode ser o ideal.

2017 foi um ano bem tenso, um ano corrido e que por vezes me peguei refletindo sobre o tempo que eu invisto na minha profissão.

Não é uma questão de não gostar do que faço, é sobre vale a pena.

Nosso tempo é “o algo” mais sagrado que nós temos.

Não tem como pedir reembolso, se você investir errado, ou simplesmente apertar o play da vida, pode se arrepender mais tarde e pode ser tarde demais.

Sempre gostei do que faço e por isso faço até hoje. Mas ainda sim, é só trabalho. É sobre ganhar dinheiro. 

Essa pausa foi necessária para refletir sobre 2017 e sobre o que virá pela frente em 2018. Essa pausa foi necessária para rever a minha participação na profissão e redimensionar esse ROI da vida.

Essa pausa foi necessária para equilibrar esse investimento que tenho feito com meu tempo e, se tem algo que ficou muito claro pra mim, é que não vou cometer o mesmo erro de 2017, despejando quase 80% do meu tempo para falar sobre o meu mercado de trabalho.

20% trabalho e desenvolvimento profissional, 80% espiritualidade

Esse ano vou seguir uma frase que a Martha Gabriel publicou no Facebook dela, e que me serviu como uma luva; vou levar uma vida com menos velocidade e mais direção.

Quando você coloca na balança e percebe que apenas 20% do seu tempo está sendo dedicado a viver outras experiência, conversar com outras pessoas, consumir otros tipo de conteúdo, você percebe que existe um desequilíbrio nítido na nossa vida.

Estou “brincando” com o princípio 80/20 de pareto para ficar mais fácil visualizar esse desequilíbrio, e deixar essa questão para que você, que leu esse texto até aqui, comece a refletir sobre o mesmo.

20% de uma vida, dedicado à profissão é muita coisa.

É mais do que o suficiente para que você construa a sua imagem profissional com sabedoria.

É fácil? Não. Vai exigir disciplina, pois não estou aqui dizendo para você trabalhar pouco ou para tocar o foda-se e achar que a vida é só curtição.

Trabalhar duro não significa trabalhar bem ou não vai te levar a ser bom no que você faz.

Ser uma pessoal produtiva profissionalmente está ligado diretamente a duas palavrinhas mágicas: disciplina e foco.

Com essas duas palavras-chave é possível que 20% do seu tempo dedicado ao trabalho, ainda possa ser muito.

Mas isso só cabe a você analisa.

Bom, este foi um texto um pouco diferente dos demais  mas, que de uma forma ou de outra, está sim relacionado com a minha proposta de falar sobre planejamento aqui no blog.

Muito obrigado pela sua atenção e até o próximo conteúdo.

COMMENTS

WORDPRESS: 0
DISQUS: